Portes gratuitos em Portugal Continental para compras superiores a 200€
×
NOTÍCIAS JCR

Normas para Sistemas Anti-queda





Conheça os produtos que selecionámos para mitigar o risco de Queda, ou navegue pela nossa gama de artigos selecionados Anti-queda.





QUE NORMAS GENÉRICAS EXISTEM?


EN363 - Sistema de Interrupção das Quedas



Conjunto de equipamentos de proteção individual contra as quedas de altura ligados entre si e destinados a interromper uma queda. Um sistema de interrupção das quedas deve incluir no mínimo um arnês anti-queda e um sistema anti-queda.




EN364 - Procedimentos de Ensaio



Descreve os procedimentos de ensaio dos diferentes EPI contra as quedas de altura assim como a aparelhagem de ensaio.



EN365 - Exigências Gerais para as Instruções de Utilização e Marcação



Descrição das marcações que têm de aparecer nos EPI contra as quedas de altura assim como as informações que têm de aparecer nas instruções de uso. As instruções para os exames periódicos devem incluir, entre outros:

Uma recomendação relativa à frequência dos exames periódicos, tendo em conta fatores tais como a regulamentação, o tipo de equipamento, a frequência de utilização e as condições ambientais. Essa recomendação deve incluir uma cláusula estabelecendo que o exame periódico deverá ser realizado pelo menos uma vez a cada doze meses;

Um aviso para destacar que os exames periódicos apenas devem ser efetuados por uma pessoa qualificada que cumpra os modos operacionais de exame periódico do fabricante.

Verificação Visual de: Arnês, cintos, cabos, cordas, absorvedores de energia, enroladores não desmontáveis (ex. AN102), conectores, componentes dos nossos kits (exceto ELARA270), ancoragens temporárias (tripé, LV201...).

Revisão Mecânica de: Enroladores desmontáveis, aparelhos de salvamento (ex. TC013).






QUE NORMAS ESPECÍFICAS EXISTEM?


EN361 - Arnês de Anti-queda



Dispositivo de preensão do corpo destinado a interromper as quedas. O arnês de anti-queda pode ser composto de correias, ferragens e outros elementos dispostos e ajustados no corpo de um indivíduo de forma adequada para segurá-lo durante
uma queda e após interrupção da queda.






EN353-1 - Anti-queda móvel sobre Suporte de Segurança Rígida



Sistema constituído por um anti-queda móvel com bloqueio automático sob suporte de segurança de fixação rígida (guia, cabo...). Um elemento de dissipação de energia pode ser integrado ao conjunto.






EN353-2 - Anti-queda Móvel sobre Suporte de Segurança Flexível



Sistema composto de um anti-queda móvel com sistema de bloqueio automático integrado ao suporte de segurança flexível (corda, cabo...). Um elemento de absorção de energia pode ser integrado ao conjunto.






EN355 - Absorvedor de Energia



Componente de um sistema de interrupção das quedas que permite interromper uma queda de altura em plena segurança reduzindo ao mesmo tempo o impacto do choque.

Nota: Se associarmos uma correia a um absorvedor de energia, o comprimento total do conjunto do dispositivo não deve ser superior a 2 m.






EN360 - Anti-queda com Sistema de Retrocesso Automático



Anti-queda com bloqueio automático e sistema de tensão e de retrocesso automático da corda. Um elemento de absorção de energia pode ser integrado ao anti-queda.






EN362 - Conector: Elemento de ligação ou componente de um sistema



Um conector pode ser um mosquetão ou um gancho.

Classe A: conector de ancoragem, de fecho automático, utilizado como componente e concebido para ser diretamente ligado a um tipo de ancoragem específico.

Classe B: conector de base de fecho automático, utilizado como componente.

Classe M: conector multiusos, de base ou malha rápida, utilizado como componente, que pode ser colocado em carga pelo eixo grande ou pequeno.

Classe Q: conector de malha rápida utilizado em aplicações a longo prazo ou permanentes, fecho de rosca. Quando completamente roscada, esta parte torna-se numa parte dedicada do conector.

Classe T: conector com extremidade manufaturada, de fecho automático, concebido como um elemento de um subsistema para permitir a fixação de modo a que a carga seja exercida num sentido pré-determinado.






EN354 - Correia ou Corda



Elementos de conexão ou componentes de um sistema. Pode tratar-se de cordas, fibras sintéticas, cabos metálicos, correias ou correntes. Comprimento máximo de 2 m.

Nota: uma corda sem absorvedor de energia não deve ser utilizada como um sistema de interrupção das quedas.






EN358 - Sistema de Estabilização no Trabalho



Um sistema de estabilização no trabalho é composto de componentes (cinto mais corda de estabilização no trabalho) ligados entre si para formar um equipamento completo.






EN813 - Cintos com Perneiras



Cinturões equipados com um ponto no ventre que permita um sistema de manutenção e retenção do acesso sobre cordas.






EN1891 - Cordas Entrançadas com Baixo Coeficiente de Alongamento (Cordas Estáticas)



EN12841 - Sistema de Acesso por Corda



Dispositivo de corda para manutenção no trabalho. Existem vários tipos de dispositivos:

Tipo A: dispositivo de regulação de corda para apoio de fixação que acompanha o utilizador nas suas mudanças de posição e/ou que permite regular o comprimento do suporte de fixação, com bloqueio automático no referido suporte sob a ação de uma carga estática ou dinâmica.

Tipo B: dispositivo de ascensão para suporte de trabalho, dispositivo de regulação de corda acionado manualmente e que, quando fixo a um suporte de fixação, bloqueia-se sob a ação de uma carga num sentido e desliza livremente no sentido oposto. O dispositivo de tipo B deve ser utilizado juntamente com um dispositivo de tipo A ligado a um suporte de fixação distinto.

Tipo C: descensor para suporte de trabalho, dispositivo de regulação de corda por fricção, acionado manualmente, que permite ao utilizador realizar movimentos descendentes e parar em qualquer parte do suporte de fixação. O dispositivo de tipo C deve ser utilizado juntamente com um dispositivo de tipo A ligado a um suporte de fixação distinto.



EN1496 - Equipamento de Salvamento



Dispositivo de salvamento com elevação. Existem várias classes de dispositivos:

Classe A: componente ou subconjunto de um equipamento de salvamento permitindo a elevação de uma pessoa com o auxílio de um socorrista, ou pelos seus próprios meios, de um ponto baixo para um ponto alto.

Classe B: dispositivo análogo ao dispositivo de classe A, mas com uma função adicional de descida por comando manual, para descer uma pessoa numa distância limitada de 2 m.






EN567 - Equipamento de Alpinismo e Escalada



Requisitos de segurança e métodos de teste para os bloqueadores.






EN12275 - Equipamentos de Alpinismo e Escalada



Requisitos de segurança e métodos de ensaio para os conectores.

Tipo B: conector de base com fecho automático suficientemente resistente para ser utilizado em qualquer parte de um sistema anti-queda;

Tipo H: conector HMS com fecho automático, frequentemente em forma de pera, utilizado para prender um alpinista a um sistema de ancoragem de Via Ferrata;

Tipo K: conector de Via Ferrata com fecho automático, utilizado em prioridade para uma segurança dinâmica, de tipo HMS;

Tipo D: conector direcional ou combinação de um ou vários conectores com fecho automático e de correias, utilizados para garantir que a carga é exercida num sentido pré-determinado;

Tipo A: conector de ancoragem especial com fecho automático, apenas utilizado par ser diretamente preso a um tipo de ancoragem especial;

Tipo Q (Quicklink): conector com fecho de enroscar. Uma vez completamente roscada, esta parte torna-se numa parte de suporte do conector.






EN12278 - Equipamentos de Alpinismo e Escalada



Requisitos de segurança e métodos de ensaio para as polias.






EN341 - EPI Contra as Quedas de Altura



Equipamentos de descida. Classificados de acordo com os seguintes dados:

Classe A: energia de descida W até 7,5 x 106 J;

Classe B: energia de descida W até 1,5 x 106 J;

Classe C: energia de descida W até 0,5 x 106 J;

Classe D: para uma única descida. A energia de descida depende da altura máxima de descida e da carga nominal máxima.






EN795 2012 - Dispositivos de Ancoragem



Parte de um sistema de proteção anti-quedas ao qual se pode amarrar um elemento de proteção individual.

TIPO A (Não EPI): dispositivo de ancoragem com um ou vários pontos de ancoragem fixos que requerem uma ancoragem estrutural;

TIPO B: Dispositivo de ancoragem com um ou vários pontos de ancoragem fixos que não requerem uma ancoragem estrutural;

TIPO C (Não EPI): Dispositivo de ancoragem que utiliza um suporte de segurança flexível com um desvio máximo de 15o;

TIPO D - NÃO EPI: Dispositivo de ancoragem que utiliza um suporte de segurança rígido com um desvio máximo de 15o;

TIPO E: Dispositivo de ancoragem destinado a ser utilizado em superfícies inclinadas até 5o no máximo.






QUE OUTRAS NORMAS EXISTEM?


EN1498 - Correias de Salvamento


Diretiva 2006/42/CE - Para as Máquinas ou Equipamentos com uma Função Móvel


EN13463-1 - Aparelhos Não Elétricos Destinados a Serem Utilizados em Ambientes Explosivos


EN13463-5 - Aparelhos Não Elétricos Destinados a Serem Utilizados em Ambientes Explosivos



Proteção por segurança de construção "c" relativa aos principais órgãos mecânicos: juntas, patamares, engrenagens, correias, cadeias de embraiagem, travões, junções, bandas de transportadores. Estabelece as exigências a cumprir e que concernem ao desenho assim como às instruções de manutenção. Fixa os requisitos e ensaios a realizar em função do tipo de componente.






Diretiva 93/42/CEE / Regulamento EU 2017/745 - Para os Dispositivos ou Acessórios Médicos


EN60529:1991 +A1:2000 + A2:2013



O índice de proteção (IP) classifica o nível de proteção de um material às intrusões de corpos sólidos e líquidos. O formato do índice é IPxx, onde o 1º dígito indica a proteção contra a poeira, o 2º a proteção contra a intrusão de água.



JCR | Normas para Sistemas Anti-queda